terça-feira, 23 de outubro de 2012

FLUXO AUTORAL APRESENTA



O projeto Fluxo Autoral retoma suas atividades no próximo domingo 28/10/2012.
Acreditando que um dia a música volte a ser por todos apreciada e não consumida.
Aproveitamos uma das várias intervenções culturais do parceiro Badulaque Estúdio Bar.
Neste próximo domingo faremos a produção e gravação ao vivo do show do artista 

Marcelo Bastos


Saxofonista e Multinstrumentista vêm de família evangélica de músicos e cantores amadores, teve influencia da musica cantada nas Igrejas Protestantes, com nove anos iniciou seu aprendizado musical em bandas e fanfarras colegiais (1980-1987). Foi precursor do estilo Instrumental de Saxofone Gospel no Brasil com a gravação em 1995 do Álbum “Plenitude” na Life Produções com Asafe Borba e distribuição no Brasil pela gravadora VPC. 
Estudou harmonia e improvisação na Universidade de Musica Tom Jobim em São Paulo, Teoria Musical e Violão Clássico na Universidade Estadual de Maringá. 
Participou do Festival de Musica de Londrina, Festival de Jazz de Londrina, Femucic (Festival de Musica Cidade Canção de Maringá), Pro-Jazz Festival de Juiz de Fora, Festival de Blues no Hermes e no Jokers em Curitiba. 

Fez Master Class com expoentes da musica Clássica e Popular Ian Guest, Blaz Rivera, Dr.Paul Turner (ex.trombonista de Glen Miller), Rafael Santos, Nico Assumpçao, Mauro Senise, Richard Sherman, Rogério Wolf, Norton Morozowicz e Jim Lyman (James Gordon Lyman).

Tocou com Yaz Kawasaki, Bocato, Tomate, David Richard, Ben Okada (baixista de Sadao Watanabe), Alex Fronteira, Miltinho (baterista do Jô Soares).

No meio Gospel tocou e dividiu palco com Banda Troad, Banda Gerd, Asaphe Borba, Bene Gomes, Chris Duran, Brother Simion, Genésio de Souza, Adhemar de Campos, Grupo Koynonya, Silvério Perez, Nalma Dayer, David Quinlan.

Tocou em Sun Valley - Idaho no Sun Valley Resort, Via Brazil em Nova York, Sanja - São Paulo, Jokers, Hermes, Original e Wonka em Curitiba, Mr.Kennys, Swing Jazz Pub, Nova Urbana e Jazz in Lovely em Nagoya, Aries Jazz Club, My Schot Pub, Cygnus Jazz Club e Tatou em Tóquio, Hotel Nikko em Toyohashi... Lecionou em Escolas no Japão e também foi Regente da Orquestra do Colégio Áureo em Nagoya. 

Em 2007 foi convidado a dar Master Class. de Saxofone na Louvação da Primeira Igreja Batista de Curitiba, em 2008 também convidados a se apresentar no VIII Festival Internacional de Flautistas de Maringá.

Marcelo Bastos é Bacharel em Música pela UEM, e Mestrando pela Unicamp, Idealizador dos festivais "Winter Jazz Fest" realizado no Restaurante Monte Líbano e “Jazz After Midnight“,com IV edições na Universidade Estadual de Maringá, onde na escola de música dessa instituição é professor do curso de extensão de saxofone.
Atualmente também atua como professor de música em escolas particulares. 

A gravação do show será realizada no próximo domingo dia 28/10/2012 a partir das 18 horas no Badulaque estúdio Bar. e contará com a presença dos renomados músicos

Hélio Prado da Silva




MAnderson Kauffman



quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ser eu? Não sei

Agüenta more
Parce sei que tem
Por pouco mais tem
Lá vai embora

Não lembro qual trem
Que me liberta ser quem
Eu me afasto de ser
Me leva embora

A viagem me deixa cansado
Quando chego onde fui levado
E meu corpo flutua ao auto
Estou de volta.

Só quando não há
Mais ter nem sou nem eu
mais nada assim estou
Dançando agora

Defesa ou combate
Confiar detém o ataque
O torna bom e ninguém sebe
Chora... Agora... É, e ninguém
Sabe o que é ou que tem,
Todo mundo quer e agora.

Sacode mais não comove
Promove e não se move
Como és vivo se seu canto é pobre
Se protesta e mais nada
Como se move

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Estúdio Badulaque: Jazz Club Badulaque

Estúdio Badulaque: Jazz Club Badulaque: Quarta Jazz Badulaque Neste mês de Agosto, todas as quartas terá jazz no Badulaque. O som será na área interna do bar, das 19:00 ~ 21:00 ...

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Jazz Club Badulaque

Quarta Jazz Badulaque


Neste mês de Agosto, todas as quartas terá jazz no Badulaque.
O som será na área interna do bar, das 19:00 ~ 21:00 horas. 
espero que não tenha mais uma intervenção das autoridades.
Será um espaço para reencontro de prof fissionais da música
será cobrada a entrada de R$ 5,00 onde 80% vai para a banda e 20% será destinado pelos próprios músicos para ajuda social para crianças

Bateria - Eulas Venceslau


Contrabaixo - Felipe Paiva


Paulo Mazetti


Haverá também vários convidados
um viva a musica maringaense!





terça-feira, 26 de junho de 2012

Indústria Fonográfica


A indústria não deveria existir, sua única função é acabar com a música como arte e transforma-la num pacote de arroz, Limar arranjos, tornar a música como uma novela. Onde já de cara todo mundo sabe o final, pois um Hermeto Pascoal cansa ouvir, são muitas notas.
Hermeto Pascoal é um gênio da musica mundial, porém ele é mais conhecido no exterior do que no Brasil.
A indústria não tem nenhuma preocupação com a musica e sim com o
 consumo!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

BARES SÃO UMA EMPRESA OU BANDIDOS?


Preciso de uma ajuda

-Gostariam de saber quantos bares existem em Maringá?
-Com este dado, gostaria de uma ajuda para fazer uma pesquisa de quantas pessoas trabalham registrados ou fazem free lance
-Quanto o município arrecada de imposto de todos os bares
-Quantas famílias dependem ou reforçam seu orçamento com os empregos em bares
-E o mais estranho, alguém conhece algum dono de bar rico?

·         Sei que muitos bares usam da música de maneira fútil e exploradora, mais porque que alguns bares que usam seu espaço para intervenção cultural, boa música, aproxima a arte da população, são perseguidos pelas autoridades?
·         É revoltante que a cidade não apóie compositores locais, os estabelecimentos que por muito menos faz o trabalho do governo municipal, onde os mesmos geram empregos.

·         Gostaria de saber quanto uma igreja gera de renda para a cidade?

·         Não digo às pessoas que fazem parte, mais a empresa igreja, qual a vantagem social e cultural para a cidade?

- Todo mundo sente prazer em dizer que é um empresário.
Eu Discordo, todo mundo não, eu e acredito que todo o dono de bares não sente prazer
Somos classificados pelos “formadores de opinião”, os incríveis Maringaenses como dispensáveis, um incomodo para a sociedade, muitos dos que condena esse ramo de empreendimento são empresários de contrabando, servidores públicos que se aproveita do nosso dinheiro.

·         Sugiro que exista uma lei onde qualquer estabelecimento comercial seja liberado para que bandas toquem até 10 horas da noite, desde que a banda seja autoral, e que o couvert cobrado seja totalmente direcionado para a banda.

domingo, 17 de junho de 2012

Objeto Desconhecido



Queria que agora houvesse um estrondo, grande ao ponto de acordar toda a cidade. Assim, esta noite e talvez somente esta noite não sentisse só, quem sabe então meus pulmões e coração tivessem lugar em meu peito.

terça-feira, 5 de junho de 2012

CADE TEU SUIN



Cadê teu repi
quem é teu padrin
onde é que tu to
Cadê teu suin?
guitarra não po
desista mole
quem é que te indi
cadê teu suin?
com que sobreno
melhor ir sain
dou nem mais minu
to nem mais
Ainda tem a cora
gentinha atrevi
da cá sua vi
da cá seu suin
guilhotina?
eu que controlo o meu guidom!
Com ou sem suin
Com ou sem suin
Com ou sem suin
guichê só de vem
da lá toma no
tamanha revan
cheio de vingan
santinha Cecili
andou me esquecen
dou rima por p
hão de ter o suin
acerta esse tom
zera essa reza
aumenta o vo
calma com andamen
to insatisfeit
mara q venh
aquel refr
hão de teu suin
guilhotina?
eu que controlo o meu guidom!
Com ou sem suin
Com ou sem suin
Com ou sem suin

A música claramente dos desacordo entre a banda e a industria fonografica brasileira. O que ouvi sobre essa discurssao foi que depois da gravação do primeiro cd, com o sucesso de Anna Julia o que a gravadora esperava era que a banda gravasse musicas mais comerciais, porem a grupo discordou, prezando pelo seu estilo proprio. Nao só cade teu suin trata dessa questão, mas tambem a musica samba a dois.


Espírito Independente




Iniciou sua carreira em batalhas de MCs no ano de 1998, nas quais se destacava. Após, integrou o extinto grupo de rap Quinto Andar em 1999, junto com artistas como De Levee Shawlin. No entanto, foi o primeiro a deixar o grupo, para seguir carreira solo; gravou com Marcelo D2 e Fernandinho Beatbox a música "Loadeando", que alcançou destaque nacional
Conhecido nacionalmente por compor letras de espírito diferente da maioria dos rappers, Marechal ficou mais conhecido em 2005, quando entrou em uma rixa com o rapper paulistano Cabal. Começou com Marechal gravando "Sua Mina Ouve Meu Rap", tendo a resposta por "Temporada de Caça" por Cabal. A rixa começou a ganhar ares mais pesados com as canções "Vai Tomar no Cu Cabal" e "Foda-se Dichinelo", de Marechal & Gutierrez e Cabal e P Rima, respectivamente. Está em um projeto para o lançamento de um álbum a quase uma década; no entanto, o single "Espírito Independente" foi o seu primeiro trabalho.
Marechal tem diversas afiliações com MCs, mas principalmente com Emicida. Este, que por sua vez, lançou o EP Sua Mina Ouve Meu Rap Também, relacionada a canção composta por Marechal. Conhecido por usar frequentemente a frase Um Só Caminho, Marechal também exerce a profissão de produtor musical


Os verdadeiros sabem de onde eu vim.
Reconhecem quando os versos são de coração.
Um só caminho. Mais que música, é uma missão.
Não rendo pra gravadora. Quer me por sobre pressão.
Nãi sei fazer o som do momento. Eu faço dos momento um som!

(Independente) demora. Pra lançar, pra fazer.
Demora. Pra tu percebe que (tamo junto) é só vc. E foda-se CD! Eu tenho conteúdo lírico.
CD é só matéria. Minhas rimas ferem teu espírito!

(Independente). Underground é o caralho. Sou Pé no
chão.
Em honra aos sangue do meu sangue, jamais dei meu sangue em vão.
Meu som é de vida e se divive em longevidade e visão.
Mas sem neurose. Igual calypso se eu puder, vendo milhão.

O tempo passa? Deixa enguli quem precipita.
Eu com tempo vou em mais lugar, e o amor dos meus se multiplica.
Eu trago o que é eterno pra escrita. Minhas simples rimas explicam.
Meu disco? Nunca vai sair. Vagabundo.

Meu disco fica
nos diskman. Nos três em um caseiro.
No trabalho. Quando o patrão naum tá vendo.
(Fé) meu disco tem. Sentimento verdadeiro.
Se tu não tem. Desculpa se não tá entendendo.

Eu vivo a Rua. Trabalho como quem foca um legado.
Sou igual vendendor de revista ocas, tá ligado.
Meus tempos sem notícia. Não diz que eu tô parado.
Que dizer.. Se prepara! Vai vir vários rap bo la do.

Era uns riscos num guardanapo. Hoje são 1000 letra no
arquivo.
Processo é louco. Cada vez mais seletivo.
Se não tem suíngue não insiste. Não tem flow, escreve livro.
Não tem letra, desiste. Se naum tem show, se mata ao vivo.

Eu ouço as conversa de Rap. Sempre com um tom de saudade.
"Tempo bom que naum volta.." Assunto já tomou a cidade.
Setembro, 7. O que? Vamos Volta a Realidade..!
naum ta faltando rep... tá faltando é rep de
verdade.!..

1 por amor, 2 pra levar mensagem.
Diz pro patrocinador fortalecer rango e passagem.
Põe caixa de som pesada, um mic bom, que de pra ouvir.
Quem nunca viu vai sair do show tipo 'caralho!'
Viu os free?

Rap é sentimento. Mão pra cima geral.
Num preciso pedir barulho. Neguinho faz porque é real!
Vídeo disso aqui na net? Claro que não tem meu Aval!
Porque computador não capta a emoção espirutal.

Isso pra mim é um ritual. Sessão de sacríficio.
É mais de 10 anos na pista e o sangue pulsa igual no início.
Viver disso é difícil. Raros chegam a esse nivel.
Mas eu amo tanto o que faço, que esse amor faz ser possível. 




VANDALUZ

BANDA VANDALUZ


De forma divertida e poética, Vandaluz, nasceu de conteúdo livre e crítico, valores que a banda acredita serem indispensáveis para a satisfação de sua arte. Com uma maneira particular de ver a música brasileira, a banda conduz seu trabalho de apelo reflexivo, na intenção de estimular a liberdade de fazer arte com alegria e com responsabilidade.
No final de 2007 a banda gravou de forma independente, seu primeiro CD “Ascende”, a partir daí a banda foi convidada a se apresentar em várias cidades do Brasil, em festivais de relevada importância, tais como: Jambolada 2007 e 2008 (Uberlândia); Projeto Geringonça Sesc Tijuca (Rio de Janeiro - 2008); Demo Sul 2008 (Londrina), Festival integrado Grito Rock América do Sul (Uberlândia/Brasília/Cuiabá/Patos de Minas/BH/Itabirito/Poços de Caldas/São Carlos).

A banda recentemente lançou se primeiro vídeo clipe, intitulado Lucidez, que foi veiculado na programação da emissora nacional “MTV”.

A banda é formada por: Lucas de Paula (guitarra e vocal), Cassim Amperes (voz e gaita), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal).

VIDEOS




A música brasileira tem um jeito peculiar de ser recriada, parte do todo, se mistura na MPB, e acaba sendo sempre música brasileira. Sua arte mescla uma ginga sem igual, embebe-se na poesia, e liricamente se dispõe com humor e bravura para o dia-a-dia dos músicos e do público.
 De forma diver­tida e poética, Vandaluz nasceu de conteúdo livre e crítico, valores que a banda acredita serem indispensáveis para a satisfação de sua arte. Com uma maneira par­ticular de ver a música brasileira, a banda conduz seu trabalho de apelo reflexivo na intenção de estimular a liberdade de fazer arte com alegria e com responsabili­dade.
 Seu show é uma performance, com figurinos variados beirando as artes dramáticas dos palcos, mesclando atitude crítica com irreverência pop star. O poeta Vane conduz os músicos irmãos que compartilham o palco itinerante pelo mundo como se fosse uma van de luminosidade.
 No trajeto, gravações e mais de uma centena de shows referentes ao primeiro CD, gravado no final de 2007, intitulado “Ascende”. A partir de então Vandaluz levou sua luz coletiva a várias cidades do Brasil, em festivais como: Jambolada 2007 e 2008 (Uberlândia); Projeto Geringonça Sesc Tijuca (Rio de Janeiro - 2008); Demo Sul 2008 (Londrina), Festival integrado Grito Rock América do Sul.
 Em 2010 lançou seu primeiro vídeo clipe, intitulado Lucidez, veiculado na programação da “MTV”. Recentemente ganhou o prêmio PNUD em parceria com a ONU “Valores Fora do Eixo”, com a música Teoria.
 A banda é formada por: Lucas de Paula (guitarra e vocal), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal).
 Uma grande sonoridade construída na poética dos profissionais da música apresentada em corpo teatral – seja o palco que for. Uma garantia de abstrair a mente, tirando os pés do chão, sem perder a sanidade.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

SAMBA ESQUEMA NOISE



A felicidade como a morte
É como um concurso milionário da Tv
Existe um globo infinito
Com bilhões de bolinhas
Girando
Em algum lugar
A cada instante uma deusa
Retira um número
Que pode ser o meu
Dá pra entender?
Por isso,
Nada de pudores
Dá pra entender?
Ou você explora o próximo
Ou o próximo é você
Esta é a única moral
Do mundo
Dá pra entender?
A felicidade como a morte
É como um concurso milionário da Tv
Existe um globo infinito
Com bilhões de bolinhas girando em algum lugar
Dá pra entender?
A cada instante uma deusa retira um número
Que pode ser o meu
Por isso nada de pudores
Dá pra entender?
Ou você explora o próximo
Ou o próximo é você
Esta é a única e verdadeira moral no mundo horrível
Dá pra entender?
Passei na cidade
Girando em algum lugar

terça-feira, 15 de maio de 2012

VIVENDO



TEMPO, TEMPO, TEMPO, TEMPO, TEMPO BREVE.
TEMPO, TEMPO, TEMPO, TEMPO, VENTO LEVE.
SEU SONO É TAO VIVO
AGORA NÃO EXISTO E MORTO FICO MAIS LEVE
NÃO ME VE OLHANDO, MAIS VEJO SUA ALMA.
LINDA COMO O MAR, A FLOR O AMOR, SE REALMENTE FOR, O MAIOR DOS CARINHOS.
A FLOR, O MAR, O AMOR.
SEJÁ LÁ QUAL O AUTOR, MAIS QUE NÃO HAJA DOR, E NÃO TENHA ESPINHOS.
JUNTO HÁ TI O TEMPO SUMIU, SÓ FICOU O TEMPO QUE PERMITE O TEMPO, PRA VIVER E NÃO TER.
E SEMPRE MANDA VENTOS, PARA LIMPAR DOCUMENTOS.
É MAIOR QUE A MORTE QUE A VIDA
AGORA AO SEU LADO, SEU SONO, COM SUA ALMA, O QUE ESPERAVA SUMIU.
E NOS COBRIU COM UM MANTO DE AMOR
TEMPO, MEDO, TEMPO, VENTO LEVE TEMPOS.
SÓ DEIXE O AMOR, SEM AUTOR NEM VENTOS.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Maringá “Cidade Canção”

 Maringá “Cidade Canção”


Talvez por eu não ser um “incrível maringaense” não consiga entender as opiniões preconceituosas destes, que anulam algumas canções dentro da cidade canção.
Uma ignorância, uma sede de manter um poder adquirido pela ganância e exploração de um povo, que  não se torna incrível, devido aos “incríveis maringaenses,” que são a minoria e possuem o poder.
Muitas vezes discordando com leis reacionárias, impedindo de alguma forma a existência artística, musical, me vi na necessidade de comparar com o período da inquisição, onde o conhecimento da leitura era exclusivo da igreja, ou  no regime tão reprovado pelas autoridades atuais,ou seja,"a velha Ditadura".
Seria um surto de Alzheimer?
Não se iluda com o nome Cidade Canção,pois não é pela música que foi chamada assim, isto é, a cidade das canções. Seu nome foi extraído de uma canção muito famosa na época, intitulada Maringá, de autoria do Compositor Joubert de Carvalho, daí advindo o nome da "Cidade Canção". E somente por isso.

VEJA ALGUMAS LIÇÕES DE PREOCUPAÇÃO PARA COM A CULTURA

Concha Acústica Helena Meirelles


O Concha Acústica Helena Meirelles é um espaço localizado em Campo Grande. Seu nome é em homenagem a violeira sul-mato-grossense Helena Meirelles.
A Concha Acústica é um dos mais novos espaços culturais de Campo Grande. O prédio foi entregue no dia 11 de outubro de 2003 e sua estrutura foi planejado para que uma pessoa possa ser ouvida num raio de 30 metros sem elevar a voz. O local é administrado pela Gerência de Difusão e Desenvolvimento de Projetos Culturais da FCMS.
A Concha está localizada no Parque das Nações Indígenas, ao lado do Museu de Arte Contemporânea.



sábado, 5 de maio de 2012

SONATA AO LUAR

Ludwig van Beethoven


Ludwig nunca teve estudos muito aprofundados, mas sempre revelou um talento excepcional para a música. Com apenas oito anos de idade, foi confiado a Christian Gottlob Neefe(1748-1798), o melhor mestre de cravo da cidade, que lhe deu uma formação musical sistemática, e lhe deu a conhecer os grandes mestres alemães da música. Numa carta publicada em 1780, pela mão de seu mestre, afirmava que seu discípulo, de dez anos, dominava todo o repertório de Johann Sebastian Bach, e que o apresentava como um segundo Mozart. Compôs as suas primeiras peças aos onze anos de idade, Os seus progressos foram de tal forma notáveis que, em 1784, já era organista-assistente da Capela Eleitoral, e pouco tempo depois, foi violoncelista na orquestra da corte e professor, assumindo já a chefia da família, devido à doença do pai - alcoolismo. Foi neste ano que conheceu um jovem Conde de Wald Stein, a quem mais tarde dedicou algumas das suas obras, pela sua amizade.
O Conde de Wald Stein, percebendo o seu grande talento, enviou-o, em 1787, para Viena, a fim de ir estudar com Joseph Haydn. No entanto, teve que regressar pouco tempo depois, assistindo à morte de sua mãe. A partir daí, Ludwig, com apenas dezessete anos de idade, teve que lutar contra dificuldades financeiras, já que seu pai tinha perdido o emprego, devido ao seu já elevado grau de alcoolismo.

Relatos da História - Beethoven (VÍDEO)



ENFIM, É MUITO INTERESSANTE A HISTÓRIA SOBRE A VIDA DE BEETHOVEN, MAIS O QUE GOSTARIA DE COM PARTILHAR É ESSA OBRA PRIMA.

Sonata ao Luar / MoonLight Sonata

Foi composta em 1801 quando Beethoven atravessava aquele que é considerado o seu período criativo mais “genial”, muito embora segundo reza a história a altura desta composição, e no seguimento da sua enorme popularidade. Ele afirmou ter composto músicas melhores

O nome Sonata ao Luar, só lhe foi atribuido muitos anos após a morte de Beethoven, pelo crítico Rellstab que disse que a mesma se comparava a um luar no lago Lucerna, o nome permaneceu até aos nossos dias.

PIANO


VIOLÃO


Moonlight Sonata Orchestral with Choir



quarta-feira, 25 de abril de 2012


SAMBA MEU




É raro o momento da vida,
Penso o que devesse fazer.

Minha cara à tapa, fazendo pirraça

Silenciosa julga de quando e como agir.

Logo esqueço,
Talvez volte ser egoísta,
Sem fazer.

Amo dedico minha vida, no momento do viver.

Porem muitas vidas caminha em busca
Da paz.
Caminho onde as pausas nos faz existir e sofrer.

Dou minha cara à tapa, fazendo pirraça

Perdoe quem esperou um carinho sem dizer.

Afirmo que amo, por mim ficou triste.
Nunca fique, nunca quis o mal.

Eu amo, só não sei como ser!