segunda-feira, 7 de maio de 2012

Maringá “Cidade Canção”

 Maringá “Cidade Canção”


Talvez por eu não ser um “incrível maringaense” não consiga entender as opiniões preconceituosas destes, que anulam algumas canções dentro da cidade canção.
Uma ignorância, uma sede de manter um poder adquirido pela ganância e exploração de um povo, que  não se torna incrível, devido aos “incríveis maringaenses,” que são a minoria e possuem o poder.
Muitas vezes discordando com leis reacionárias, impedindo de alguma forma a existência artística, musical, me vi na necessidade de comparar com o período da inquisição, onde o conhecimento da leitura era exclusivo da igreja, ou  no regime tão reprovado pelas autoridades atuais,ou seja,"a velha Ditadura".
Seria um surto de Alzheimer?
Não se iluda com o nome Cidade Canção,pois não é pela música que foi chamada assim, isto é, a cidade das canções. Seu nome foi extraído de uma canção muito famosa na época, intitulada Maringá, de autoria do Compositor Joubert de Carvalho, daí advindo o nome da "Cidade Canção". E somente por isso.

VEJA ALGUMAS LIÇÕES DE PREOCUPAÇÃO PARA COM A CULTURA

Concha Acústica Helena Meirelles


O Concha Acústica Helena Meirelles é um espaço localizado em Campo Grande. Seu nome é em homenagem a violeira sul-mato-grossense Helena Meirelles.
A Concha Acústica é um dos mais novos espaços culturais de Campo Grande. O prédio foi entregue no dia 11 de outubro de 2003 e sua estrutura foi planejado para que uma pessoa possa ser ouvida num raio de 30 metros sem elevar a voz. O local é administrado pela Gerência de Difusão e Desenvolvimento de Projetos Culturais da FCMS.
A Concha está localizada no Parque das Nações Indígenas, ao lado do Museu de Arte Contemporânea.



Nenhum comentário:

Postar um comentário