quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ser eu? Não sei

Agüenta more
Parce sei que tem
Por pouco mais tem
Lá vai embora

Não lembro qual trem
Que me liberta ser quem
Eu me afasto de ser
Me leva embora

A viagem me deixa cansado
Quando chego onde fui levado
E meu corpo flutua ao auto
Estou de volta.

Só quando não há
Mais ter nem sou nem eu
mais nada assim estou
Dançando agora

Defesa ou combate
Confiar detém o ataque
O torna bom e ninguém sebe
Chora... Agora... É, e ninguém
Sabe o que é ou que tem,
Todo mundo quer e agora.

Sacode mais não comove
Promove e não se move
Como és vivo se seu canto é pobre
Se protesta e mais nada
Como se move

Nenhum comentário:

Postar um comentário